quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010

ATENÇÃO PROFESSORES ! TEMOS NOTÍCIAS DO SINPRO. NOTÍCIAS SOBRE O SALÁRIO DE DEZEMBRO: SAIU 10% DOS 30% RESTANTES REFERENTES AO SALÁRIO DE DEZEMBRO DE 2009!!! QUE O PÚBLICO QUE NOS ACOMPANHA VEJA A BARBARIDADE! QUASE 32.000 ACESSOS! Comentário do funcionário ANÔNIMO do FINANCEIRO:O que se fala aqui no financeiro é que seria liberado os 30% restante, mas, devido ao movimento virtual, "as torneiras vão pingar cada vez mais" (sic).


EM REUNIÃO NO DIA 04 DE FEVEREIRO NO SINPRO-RIO  FOI  DELIBERADO O SEGUINTE:

1. Aos colegas DEMITIDOS,

O SINPRO-RIO  CONVOCA os PROFESSORES DEMITIDOS, para  uma REUNIÃO  URGENTE, na rua Pedro Lessa, nº 35, 3º andar, Centro -RJ,no dia 10 de fevereiro as 15:30 horas, quarta-feira, tendo em vista a situação calamitosa em que os docentes foram acometidos por atos arbitrários e ilegais dos gestores do Centro Universitário da Cidade - UniverCidade.

Assim, espero contar com o maior número possível de DEMITIDOS, pois o SINPRO tem assuntos seríssimos a tratar.A Instituição não entregou ao SINPRO a lista dos demitidos.

2. Será realizada PANFLETAGEM em locais estratégicos em dia e hora  a serem determinados pelo Sindicato. Aguardem...

3.   Foi marcada uma ASSEMBLÉIA GERAL para que TODOS os PROFESSORES da UniverCidade compareçam ,  demitidos e não demitidos, a fim de traçar os rumos do movimento , que  deverá ser dia 06 de março as 10 horas, sábado, na rua Pedro Lessa, 35, 2º andar, Centro-RJ. Nesta ASSEMBLÉIA,será discutido entre outros pontos a exigência de reintegração dos membros da "ASDUC".

A Diretoria do Sindicato reitera que é importante lutar contra os desrespeitos praticados por esta instituição, como foi caso recente da demissão de todos os professores da Associação Docente da UniverCidade (ASDUC). 

Qualquer dúvida enviem para  meu email ou postem no BLOG.

PROFESSORES,
CONTO COM O MAIOR NÚMERO POSSÍVEL DE COLEGAS NA REUNIÃO E NA ASSEMBLÉIA, POIS VOSSAS PRESENÇAS SÃO IMPORTANTÍSSIMAS PARA EQUILIBRAR O MOVIMENTO. ESTAMOS TRILHANDO CAMINHOS QUE NA ATUALIDADE HOMEM  NENHUM OUSOU TRANSPÔ-LOS.

EU ESTOU ENVIANDO EMAILS, PORÉM NÃO TENHO DE TODOS. POR FAVOR, AJUDEM A PROPAGAR. OBRIGADO. 

ClIQUEM NO LINK: ALERJ - DEPUTADO PAULO RAMOS

Saudações,
Professor Brasileiro  

É INACREDITÁVEL!!!
Sent: Friday, February 05, 2010 4:35 PM
Subject: ENC: Salário de Dezembro / 2009

Prezados,
Informamos  a  seguinte  liberação,  nesta data,   referente ao    salário de    Dezembro  :    10   %    para os    administrativos    com   líquido  superior  a R$   1.100,00  e para todos os docentes. 
Solicitamos  aos diversos gestores, coordenadores de curso e apoio docente ampla divulgação para os nossos colaboradores que não tenham acesso ao correio eletrônico.
Atenciosamente,
Tania  Côrtes                                                                                                                                                          
Gerente Financeira





103 comentários:

  1. Gostaría de convidar os colegas à leitura de “A Imprensa na gaveta do poder”, transcrição de uma palestra do jornalista Orivaldo Perin publicada – acredite – no site do Banco do Brasil:

    http://www.bb.com.br/portalbb/page1,138,2514,0,0,1,6.bb?codigoMenu=5253&codigoNoticia=6694&codigoRet=5255&bread=1

    Entre os temas abordados, o Caso Delfim, escândalo que envolveu o presidente de nossa mantenedora e Magnífico Reitor. Um trecho particularmente elucidativo é este:

    “Por que a demora na divulgação de escândalos?

    Vou lembrar outro caso, de quando vivíamos a distensão – a passagem lenta, gradual e segura da ditadura para a democracia, no tempo do general Geisel. Naquela época, estava pipocando na imprensa o caso Delfim. Um tal de Levinson queria pagar a dívida com um imóvel que tinha, exigindo que o governo lhe desse, naquele ano, o valor que ele teria daí a um determinado tempo, no futuro. Um escândalo, que virou um dossiê. Abro um parêntese: essas denúncias dificilmente são apuradas. Elas chegam prontas ao jornal, e o que se faz é decantá-las e ver quais interesses estão em jogo. Acho que, nos meus vinte e seis anos de jornalismo, a maioria das concessões do Prêmio Esso foi para matérias feitas em cima de dossiês que chegaram prontos nas redações dos jornais. O caso em questão rolou por várias redações, durante três meses, e ninguém teve coragem de publicar nada na época. Até que caiu na Folha de S. Paulo, que resolveu comprar a briga, e deu no que deu: o repórter ganhou o Prêmio Esso e o Levianos está morando em Nova Iorque, mais rico ainda.”

    * * *

    Aprendida a lição do Jornalista Orivaldo Perin, talvez o SINPRO pudesse fornecer aos jornais cópias dos volumosos dossiês acumulados sobre a UniverCidade. Mas não só aos jornais do Rio, também aos de São Paulo, até porque os papéis da UniverCidade Trust são negociados na Bovespa.

    ResponderExcluir
  2. informações sobre a UniverCidade Trust

    acionistas%:

    Ricardo de Figueiredo Lima .....70,00 0,00 70,00
    Ayrton Sanches Garcia ..........10,00 0,00 10,00
    Luiz Paulo de Mattos Rosas .....10,00 0,00 10,00
    João Da Rocha Lima Junior .......10,00 0,00 10,00

    Dados da Companhia

    Nome de Pregão: UNIVERCIDADE
    Códigos de Negociação: Nenhum ativo no Mercado a Vista – Lote Padrão. Mais Códigos

    Códigos ISIN:
    Códigos CVM: 19585
    CNPJ: 006.027.566/0001-93
    Atividade Principal: Aquisição de Direitos Creditórios
    Classificação Setorial: Financeiro e Outros / Securitizadoras de Recebíveis / Securitizadoras de Recebíveis
    Site: www.universidadetrust.com.br

    Ações em Tesouraria 0,00 0,00 0,00
    Outros

    ResponderExcluir
  3. Amigo,

    Veja na minha mensagem SEIS ANOS DE ATRASO:

    COLE ESTE LINK:

    http://professorbrasileiro.blogspot.com/search/label/SEIS%20ANOS%20DE%20ATRASO

    Foi entregue um DOSSIÊ sobre tudo isto ao MP e já começaram as investigações.

    Obrigado,

    Professor Brasileiro

    ResponderExcluir
  4. Professor, esse Dossiê não poderia ser repassado à imprensa ou para sua eficácia é preciso um certo sigilo?

    ResponderExcluir
  5. Temos que conservar o sigilo, por enquanto. Muitas coisas não se pode propagar, enquanto as investigações ocorrem.

    Contudo, o andamento podemos saber, mas o ano está começando e o SINPRO já está cobrando aos órgãos a solução.

    Compareça a ASSEMBLÉIA para tomar conhecimento de tudo, ok?

    Saudações,

    Professor Brasileiro

    ResponderExcluir
  6. Gostaria de saber: " Os professores demitidos(em sua maioria), foram os que assinaram pela criacao da Associacao de Docentes do Centro Universitario da Cidade?

    ResponderExcluir
  7. O SINPRO ainda não tem a lista.Por isso queremos fazer uma REUNIÃO com o maior número possível de professores para conversar sobre tudo.

    Parece-me que a maioria foram professores da unidade Taquara que não mais existe e do curso de pedagogia, parece-me que foi extinto.

    Temos que averiguar, por que a Instituição não passa nada para o Sindicato, o que está totalmente errado.

    VAMOS VER SE OS PROFESSORES APARECEM NA REUNIÃO. SERIA EXCELENTE PARA FAZER UM BALANÇO DAS IRREGULARIDADES.

    Saudações,

    ResponderExcluir
  8. Fontes já confirmaram que a pessoa que assinou as demisões assinou mais de 70. E não foi o Prof. Paulo Alonso.

    Foi fácil inclusive aferir o episódio, pois o dono dessa caneta tão desgastada tem a língua mais comprida da instituição, não conseguindo manter o sigilo de suas ações – por piores que sejam.

    ResponderExcluir
  9. Pois é...Coisa de vaidoso, de quem se acha o máximo, poderoso.
    Essas pessoas não conseguem manter suas ações em silencio e aí caem por conta exatamente de sua arrogância. Quanta imbecilidade!
    Já vi tanta gente que de se "achava poderosa" descer ladeira abaixo numa velocidade supersônica.
    ASSEMBLÉIA DIA 06/03, ESTAREI LÁ!

    ResponderExcluir
  10. VOCÊ JÁ DENUNCIOU A UNIVERCIDADE HOJE?

    Engrosse as fileiras: estamos em guerra por dignidade e Justiça e você foi convocado.

    ResponderExcluir
  11. Não é bem vaidade: o proprietário daquela fatigada caneta é famoso na instituição por sua inclinação ao mexerico. Essa compulsão é tão poderosa que, na falta do que dizer dos outros, fala de si mesmo.

    Com isso ganhamos todos.

    ResponderExcluir
  12. Com certeza ganhamos todos.
    Cada vez mais as "fraquesas" deles nos fortalecem.
    TODOS NA ASSEMBLÉIA!!!

    ResponderExcluir
  13. Professor, o curso de pedagogia ainda aparece no site da instituição. Deve haver um número maior de lideranças entre os demitidos do que se imagina. A represália deve ser maior do que se supõe.

    ResponderExcluir
  14. Amigos,

    Sou coordenador de curso e cheguei à conclusão que isso não terá fim, caso não haja uma intervenção judicial severa! Temos reuniões constantes em que a ordem é: "QUEM NÃO ESTIVER SATISFEITO CAI FORA!" Isso, assim mesmo, desse jeito q eu escrevi. Sou pai de família (como muitos) e estou com cheques devolvidos, dividas altas nos bancos, enfim tudo aquilo que os senhores estão sofrendo. Ter que responder com lágrimas ao pedido de um filho, para ir ao cinema dói muito!

    Tenho q pedir dinheiro emprestado para ir trabalhar.. carro? já o vendi faz tempo! E o que é pior, não estou conseguindo colocação no mercado. A aflição é muito grande! Não quero acreditar que - por mais que o Brasil seja investado de corruptos - isso não terá um fim!

    Já recorri a todas as instâncias do plano espiritual, devo estar falando baixo ou então os santos, orixás, duendes, fadas, gnomos, mágicos, pais de santo, enfim.... sofro!

    Estarei na assembleia, mas um pouco descrente, pois a necessidade urge!

    ResponderExcluir
  15. Te felicito, senhor, por tomar tal posição.

    Alguns dos seus colegas são coordenadores de atividades que jamais praticaram ou vivenciaram, impondo ou assumindo as resoluções mais baixas com uma fidelidade canina, movidos pela covardia e por uma ambição muito modesta: a de vir a ser Coordenador(a) Geral ou Diretor(a) dessa instituição perversa, que exige a venda – a preço vil – do caráter, da integridade e da alma daqueles que postulam ser queridinhos ou queridinhas da instituição.

    Por isso muitos dos seus colegas praticaram o assédio moral das formas mais brutais ou mais sutis.

    No convívio com tais pessoas testemunhei práticas alarmantes. Incrível como homens e mulheres podem rebaixar-se movidos pelo medo ou por tais ambições mesquinhas.

    Que os Céus os perdoem, pois ainda pleiteiam virtudes depois do mal que têm praticado!

    ResponderExcluir
  16. Todos esses problemas são devido a acomodação de muitos anos, porém, de agora em diante tudo vai mudar e já está mudando.

    Tenho a certeza de que com a agilização da CPI e de outras providências que temos que guardar sigilo, vamos desmantelar todas as falcatruas.

    Eu estou otimista e entrei nessa pra ganhar. Sou otimista? Sim!

    Nada é eterno! AGUARDO-O NA ASSEMBLÉIA e tome precauções, pois todo o cuidado é pouco.

    Saudações,

    Professor Brasileiro

    ResponderExcluir
  17. Coordenador, estou desempregado. Não sabe que alívio e sensação de liberdade experimentei. Sou grato ao Prof. Ricardo Meireles por ter assinado a minha demissão em companhia de colegas tão notáveis e excelentes.

    ResponderExcluir
  18. Prezado Professor Barsileiro,

    O Curso de Pedagogia não acabou, todos os alunos da Mangueira e da Freguesia foram REBOCADOS para a Unidade Madureira. Os alunos bolsistas não tiveram escolha. Mas muitos alunos pagantes foram para outras instituições.
    Dos 52 professores do curso, 23 foram demitidos.

    Abraço fraterno!

    ResponderExcluir
  19. É... Só saberemos quando houver a reunião do dia 10 de fevereiro.

    A Instituição não entregou a lista dos demitidos e não se tem idéia.

    Saudações,

    ResponderExcluir
  20. 10%???!!!
    É incrível como nada intimida os gestores. Ou então eles estão querendo nos intimidar, fazendo parecer que nosso movimento não vai dar em nada.
    Todos que participamos ativamente sabemos que eles têm medo de nós sim.
    Quando ameaçamos parar no final do ano passado, rapidamente o dinheiro apareceu para nos pagar.
    As aulas já vão começar.
    Esses diretores são a "nata de escória". Se não nos pagaram a diferença faltante na totalidade, nada pagaram ao administrativo que ganha menos de R$ 1.100,00. Deus, isso é caso de polícia.

    Estou triste demais por termos permitido as coisas chegarem onde chegaram.

    ResponderExcluir
  21. Não fique triste, não dê a eles esse poder. Orai e vigiai.NÃO DESANIME, estamos todos juntos e venceremos!!

    ResponderExcluir
  22. Vamos em busca do tempo perdido; vamos resgatar o nobre caráter do magistério; vamos negar pela ação tudo isso que aí está.

    ResponderExcluir
  23. Nenhum desses diretores e coordenadores corruptos e corruptores são dignos da sua tristeza. Resgate sua nobreza pela atividade política, pela presença nas assembléias, pela denúncia aos órgãos competentes! Não se lamente! Aja!

    ResponderExcluir
  24. Obrigado pelas palavras de conforto. Não se preocupe, colega. Não estou desanimado, somente triste.
    Como pessoas preparadas como nós, que investimos tanto na nossa formação, que entramos em sala de aula e falamos para pessoas, passamos conhecimento e auto-estima, pudemos deixar que nos pisassem tanto. TEMOS QUE FAZER UMA PROFUNDA AUTO-CRITICA! É isso que queremos para nossos filhos?
    ESTOU NA LUTA A MUITO TEMPO. MUITAS VEZES ME SENTINDO FALANDO PARA NINGUÉM, MAS NUNCA DESISTI, MESMO QUANDO TENTARAM ME CALAR. ENQUANTO EU TIVER FORÇAS CONTINUAREI NELA.

    ResponderExcluir
  25. “Quem combate monstruosidades deve cuidar para que não se torne um monstro. E se você olhar longamente para um abismo, o abismo também olhará para dentro de você.”

    Meus amigos, essa tristeza, esse desânimo, essa raiva que consome... Não deixe nada disso tomá-lo: isso vem deles, dos homens e mulheres cruéis que nos vendem em risos ou em silêncio. Eles estão doentes, gravemente doentes.

    Não adoeça também. Troque a essa angústia venenosa e envenenada pela ação política. Troque a enfermidade da sua própria omissão e do seu silêncio por gestos de solidariedade.

    Compareça à próxima Assembléia. Preste solidariedade aos colegas demitidos que ainda continuam lutando em nome de todos nós.

    ResponderExcluir
  26. Resignação: submissão à vontade de alguém, ao destino (Dicionário Aurélio).
    Essa “nossa” resignação (igual a submissão) só trouxe resultados contraproducentes.
    Uma vez li algo sobre o inevitável e a acomodação: “Um lavrador suportará corajosamente um aguaceiro e granizo na plantação, mas não se acomodará com gafanhotos e tiririca.”
    Sempre achei muito interessante isso, pois de forma simples, define o que pode ser mudando pela atuação humana.
    A paciência que tantas vezes nos pediram e pedem para ter, pode ter pode ser uma desculpa, um esconderijo para nossa própria omissão.
    Os que se refestelaram/refestelam no conforto e vantagens as custas de nosso trabalho, não se importaram/importam com nosso desconforto e humilhações. Não têm porque fazer isso. São vampiros que se alimento do nosso saber e nossa inércia.
    Colegas, não nos esqueçamos de que o incêndio vizinho é ameaça de fogo em nossa casa e, de imprevisto, irrompem chamas junto de nós, junto de todos, comprometendo e fulminando a ilusória tranqüilidade.
    Todos necessitamos ajustar a resignação no lugar certo.

    Pensemos sobre nossa passividade...

    Saudações Poéticas.

    Prof. Além-Mar

    ResponderExcluir
  27. Nunca entendi essa passividade de vocês, professores. Me desculpem, isso é mesmo desculpa pra não se mexer. Aproveito pra dizer que estou imprimindo esse site inteiro pra processar a faculdade pela perda do valor do meu diploma com base no CDC, que torna tudo mais fácil.

    Tenho quase certeza de que vou ganhar a ação e abrir um precedente. Mas isso não foi o que meus professores passivos ensinaram. Vou fazer isso porque não corro atrás, corro na frente.

    Aluno do 4º. ano.

    ResponderExcluir
  28. Só um detalhe: no Bennett foi assim, os alunos processaram a Faculdade de Direito em massa.

    Aluno do 4º. ano.

    ResponderExcluir
  29. Espero que o rapaz do IV Ano leve essa idéia a sério, divulgue-a, passe adiante, distribua xerox do site e da inicial pra todos os seus colegas, ponha na Internet e processe a UniverCidade. Cinqüenta garotos com a mesma iniciativa e o meu salário não vai atrasar nunca mais. Ah, mas não vai mesmo.

    ResponderExcluir
  30. Prezado aluno, nem todos os seus professores foram ou são passívos. Este blog, por exemplo, foi criado por um professor da Escola de Direito.
    Na última assembléia no SINPRO estavam presentes mais de 70 professores do curso de direito.
    Agora, relação de consumo você tem com a IES, não com o professor, portanto pode processá-la pelo que bem entender e se entender que foi prejudicado.
    Não esqueça, porém, prezado aluno, que o fato de professor ensinar não significa que o aluno vai aprender. A atividade do professor é atividade meio e não fim.
    Saudações

    ResponderExcluir
  31. Aluno, não faltará acessoria para você. Se quiser eu e muitos outros colegas podemos preparar a petição com todos os fundamentos necessários e ainda fornecer cópias dos e-mails informando a maneira cruél como são pagos nossos salários.

    ResponderExcluir
  32. Caro aluno,

    Prazer em tê-lo no BLOG.

    Passividade? É o que não existe no movimento.

    Começamos em novembro e já estamos prestes a desmantelar as ilegalidades. O que você vê são comentários e o BLOG é livre para isso, desde que não sejam contra a ordem pública, a moral e os bons costumes.

    Colabore , fale com os colegas, proteste contra essas arbitrariedades, pois o movimento de alunos é uma grande força , mas só temos alguns que nos falam.

    Saudações,

    Professor Brasileiro

    ResponderExcluir
  33. Obrigado, Professor Brasileiro. Conte com a minha força e a dos meus colegas conscientes. A minha crítica é forte mas sei que nem todos são passivos. Valeu pelo blogue. Estamos esperando o início das aulas para agir, saber quem foi e quem ficou. Nós também vamos colaborar. Muita força para o senhor, essa briga também é nossa, já estou no 4º. ano e não quero meu diploma no lixo.

    Aluno do 4º. ano.

    ResponderExcluir
  34. Ao Professor das 13:20.

    Obrigado pelo oferecimento, mas já tenho tudo em mãos e estou bem amparado. Para ser honesto, quem me soprou essa idéia foi um Juiz do Trabalho.

    Aluno do 4º. ano.

    ResponderExcluir
  35. Você está certo, querido aluno. Lute pela qualidade de seu diploma. A UniverCidade faz propaganda enganosa, entre tantas irregularidades.
    Obrigado pela força.

    ResponderExcluir
  36. Hoje foi o 5o dia útil. Estamos com 120% de atraso.

    ResponderExcluir
  37. Aluna do 6º período5 de fevereiro de 2010 22:27

    Olá professores!
    Em primeiro lugar gostaria de parabenizá-los por tomar essa iniciativa e dizer que acompanho o blog desde o ano passado quando surgiu a ameaça de greve. Gostaria de agradecer também, tendo em vista que todo esse movimento acabará por privilegiar os alunos (afinal entendo que é humanamente impossível ter o salário atrasado e dar aula empolgado).
    Só não sei o que fazer, pois sou aluna bolsista e sem o benefício infelizmente não poderei estudar. Vocês sabem como funcionam essas coisas, sendo bolsista eles te fazem de gato e sapato e não se tem outra escolha (ou aceita ou, como eles mesmo dizem, CAI FORA).
    Espero que essa corja seja desmascarada e punida, ai sinceramente me sentirei honrada com relação a vocês que estão lutando por isso.
    Um abraço a todos e força, pra lutar contra essa gente é preciso.

    ResponderExcluir
  38. Aluna,

    Por que você perdeu a bolsa? Não tem um jeito de fazer um financiamento ou crédito educativo?

    ResponderExcluir
  39. Ao prof. da msg postada às 10:oo,digo q tb tenho o mesmo sentimento:LIBERDADE, mesmo com tantos problemas causados, estou livre para não ouvir mais as lenga-lengas de diretores e coordenadores, livre de não precisar ficar feito maluca quando a cada período lecionava uma nova disciplina, sem falar na compra de novos livros( sem dinheiro), novos textos, vídeos e dvds para dinamizar as aulas, livre por ter q deixar o carro em casa porque não tinha dinheiro p/ a gasolina e amargar 01 h de ônibus de volta p/ casa, livre de sempre ouvir os alunos reclamarem da instituição , falta de estrutura e tudo o mais...a única desvantagem é estar longe de 01 sala de aula e dos meus alunos.
    Ao coordenador de curso q tb postou msg, PARABÉNS, por vir a público e expor os seus pensamentos e dissabores, quem dera TODOS /AS, fossem assim, DIGNOS/AS...segundo um dos diretores, a indicação das demissões, foi feita pelos coordenadores, e q até onde ele sabia, não havia nada de pessoal, pelo menos em relação ao curso de Pedagogia, q estava com excesso de professores, pois, Mangueira não vai mais oferecer o curso, Campo Grande teve a sua última turma no período passado e, Freguesia, precisou enviar as turmas p/ Madureira, pq a Taquara fechou e, todos os cursos foram remanejados p/ Freguesia...só não entendo o seguinte: no 1º dia de um curso de capacitação p/ os profs da Pedagogia ( início de dezembro) estava presente uma nova profª p/ o curso, já com carga horária, matrícula, etc..., mas, como estamos vendo, tudo é possível na instituição!!!!!!!!!!!nós, professores, temos um grande trunfo nas mãos, nossos alunos, tenho enviado e-mails e pedido q entrem no blog e saibam da real situação da instituição e, felizmente, eles sabem em quem confiar...só espero q os prezados colegas demitidos ou não do curso de Pedagogia, exerçam a autonomia pregada pelos grandes educadores e tão discutida nas nossas aulas...

    ResponderExcluir
  40. Professor Brasileiro, enviei uma mensagem para seu e-mail.

    att;

    Edward Louis Seversen III

    ResponderExcluir
  41. Professor, no site do SINPRO a reunião em 10/02 está marcada para as 10h, e não 16 horas.

    Qual o horário "oficial"?

    ResponderExcluir
  42. A REUNIÃO É DIA 10 AS 16 HORAS. ELES SE ENGANARAM. EU ESTIVE NA DELIBERAÇÃO.VOU AVISÁ-LOS.

    Obrigado.

    Saudações,

    ResponderExcluir
  43. Para não perder o costume e tentar fazer nossa luta menos dolorosa, compartilho com os colegas alguns aforismos que me dão alento.

    “OS QUE LUTAM
    Há aqueles que lutam um dia; e por isso são muito bons;
    Há aqueles que lutam muitos dias; e por isso são muito bons;
    Há aqueles que lutam anos; e são melhores ainda;
    Porém há aqueles que lutam toda a vida; esses são os imprescindíveis.
    (Bertold Brecht)”

    "Preocupe-se mais com a sua consciência do que com sua reputação. Porque sua consciência é o que você é, e a sua reputação é o que os outros pensam de você. E o que os outros pensam, é problema deles.”
    "Melhor atirar-se à luta em busca de dias melhores do que permanecer estático como os pobres de espírito, que não lutam mas também não vencem; que não conhecem a dor da derrota, mas que não têm a glória de ressurgir dos escombros. Esses pobres de espírito ao final da terra não agradecem a Jah por terem vivido, mas desculpam-se perante por haverem simplesmente passado por ela.”
    "A vida é para quem topa qualquer parada, e não para quem pára em qualquer topada.”
    (Bob Marley)

    Saudações Poéticas

    Prof. Além-Mar

    ResponderExcluir
  44. Os 10% não deram para comprar toda a "ração" da semana. Sejam generosos. Dá próxima vez, mandem 12%. Essa é a cota rasoável para fazer compras.
    Assim, continuarei indo dar aulas. COVARDES!

    ResponderExcluir
  45. Interessante a matéria sobre a aluna formanda e oradora da turma de Cinema da UGF ( Anna Paula Barreto da Costa e Silva) que discursou dizendo estar dividindo com todos a vergonha de estar ali.

    "Vergonha pela falta de respeito desta instituição para com os que nela depositaram a confiança de sua formação, recebendo em troca descompromisso, despreparo e descaso."

    O mal se propaga por várias instituições superiores de ensino.

    Como já foi dito neste blog, difícil alguém - no caso nós, os professores - se motivar, investir em sua atualização, comprar livros, se o atraso no pagamentoe e as irregularidades são tamanhas.

    ResponderExcluir
  46. DIRETO DA ADMINISTRAÇÃO

    Prezados,

    O que se fala aqui no financeiro é que seria liberado os 30% restante, mas, devido ao movimento virtual, "as torneiras vão pingar cada vez mais" (sic).

    Já tiraram todo o controle da gente. A gerente do financeiro, que antes participava de tudo, agora não sabe de mais nada! Quem está controlando tudo é o Reitor, está tudo nas mãos dele e segundo comentários dos funcionários, a desculpa é que as ações judiciais aumentaram muito e somado a isto estão as multas que eles estão sendo condenados.

    Amigos.... é preciso urgência, pois estamos a um passo de ficarmos sem NADA!

    FUNCIONÁRIO(A) DO FINANCEIRO

    ResponderExcluir
  47. Por onde anda o Poder Público, já que a moralidade dos nossos gestores saiu e não volta mais? Como alguém pode resignar-se a ser Síndico do Mal? Não existe entre os gestores gente disposta a demitir-se por questões de honra? O cavalheirismo morreu? Os senhores não se envergonham de serem gestores do mal que atinge ao outro? Quanto vale tal omissão ou tal prática? Vinte, 30, 40 mil reais? Duvido que a UniverCidade pague tanto.

    Nossos algozes devem ser mais baratos.

    ResponderExcluir
  48. Amigos,

    Pra que tanta confusão? Pra que tantas palavras? Estão sofrendo? É tão simples, peçam demissão e recorram ao judiciário.

    Prezado professor brasileiro. Sabemos que é doutor e perguntamos: Do que está adiantando tanto movimento? Nunca vai acontecer nada conosco! Meu Deus! Tanto desgaste pra nada!

    Pobres docentes, acham que vão conseguir alguma coisa.....coitados!

    No dia em que este país for sério, quem sabe resultados surgirão de manifestações deste gabarito: Meros terroristas urbanos!!!

    ResponderExcluir
  49. Meu caro senhor, sei que a questão pode parecer insignificante, mas, por favor, não somos “amigos”. Meus amigos são todos cavalheiros.

    Não tenho nenhum que seja um canalha.

    ResponderExcluir
  50. Prezados,

    Nunca se pede demissão! Se for o caso vá a um advogado e faça a RESCISÃO INDIRETA que já expliquei do que se trata.

    Contudo, o soldado não deverá desertar e a luta só está começando...

    Desculpem-me , mas desistência em desmantelar essas falcatruas não pode proceder, pois as providências estão sendo tomadas.

    Parece que é muito tempo, mas nós estamos apenas desde novembro de 2009 na luta. A ilegalidade perdura desde 2003, mas o movimento tem pouco tempo.

    PEDIR DEMISSÃO OU PEDIR PRA SAIR COMO ELES QUEREM, DE JEITO NENHUM!

    Estamos começando o ano e somente depois do carnaval teremos algo concreto.

    Se vocês quiserem continuar com a aceitação das arbitrariedades dos gestores, não é meu problema, contudo eu tenho um compromisso comigo mesmo e com os colegas que querem justiça.

    Sabemos que o mundo não foi feito em um dia, que um bebê demora 9 meses para nascer, que uma semente demora para germinar,enfim todas as coisas são gradativamente construídas e tudo tem o seu tempo, pois a pressa é inimiga da perfeição.

    VAMOS TODOS A ASSEMBLÉIA??? DEMITIDOS, VAMOS A REUNIÃO???

    Saudações,

    Professor Brasileiro

    ResponderExcluir
  51. Professor, o cara é gestor de uma IES e usa maiúscula depois de dois pontos. Nem vale a pena respoder, né?

    ResponderExcluir
  52. O camarada tem a faca e o queijo e se preocuypa em postar aqui? Deve estar tremendo de alto a baixo.

    Quanta bondade em deixar isso tão claro.

    ResponderExcluir
  53. Espero que muitos alunos possam ler a postagem das 08:15 antes de efetuarem suas matrículas.

    ResponderExcluir
  54. Professor, abre o log das 08:15 e divulga o IP desse cara que é pra gente se divertir um pouquinho.

    ResponderExcluir
  55. Professores,

    Isso que eu li, é sério?! Como eu ainda posso estudar numa faculdade assim! Juro, q eu não estou acreditando!!

    O grande lance é que, realmente, parece que nada acontece com eles! Estão cada vez mais ricos, cada vez mais poderosos!!!

    É possível uma ação coletiva? Pq não fazem isso?

    Aluno assustado!

    ResponderExcluir
  56. Prezado Aluno.

    É sério, é isso mesmo. Se o Professor Brasileiro divulgar o IP do sujeito, você verá que essa mensagem saiu via rede da UniverCidade, seja de um lapttop ou desktop.

    Mas não se espante, isso é só um comentário movido pelo medo. Leia a mensagem abaixo (previamente publicada por colega anônimo) que você vai descobrir questões ainda mais sérias:

    Gostaría de convidar os colegas à leitura de “A Imprensa na gaveta do poder”, transcrição de uma palestra do jornalista Orivaldo Perin publicada – acredite – no site do Banco do Brasil:

    http://www.bb.com.br/portalbb/page1,138,2514,0,0,1,6.bb?codigoMenu=5253&codigoNoticia=6694&codigoRet=5255&bread=1

    Entre os temas abordados, o Caso Delfim, escândalo que envolveu o presidente de nossa mantenedora e Magnífico Reitor. Um trecho particularmente elucidativo é este:

    “Por que a demora na divulgação de escândalos?

    Vou lembrar outro caso, de quando vivíamos a distensão – a passagem lenta, gradual e segura da ditadura para a democracia, no tempo do general Geisel. Naquela época, estava pipocando na imprensa o caso Delfim. Um tal de Levinson queria pagar a dívida com um imóvel que tinha, exigindo que o governo lhe desse, naquele ano, o valor que ele teria daí a um determinado tempo, no futuro. Um escândalo, que virou um dossiê. Abro um parêntese: essas denúncias dificilmente são apuradas. Elas chegam prontas ao jornal, e o que se faz é decantá-las e ver quais interesses estão em jogo. Acho que, nos meus vinte e seis anos de jornalismo, a maioria das concessões do Prêmio Esso foi para matérias feitas em cima de dossiês que chegaram prontos nas redações dos jornais. O caso em questão rolou por várias redações, durante três meses, e ninguém teve coragem de publicar nada na época. Até que caiu na Folha de S. Paulo, que resolveu comprar a briga, e deu no que deu: o repórter ganhou o Prêmio Esso e o Levianos está morando em Nova Iorque, mais rico ainda.”

    * * *

    Aprendida a lição do Jornalista Orivaldo Perin, talvez o SINPRO pudesse fornecer aos jornais cópias dos volumosos dossiês acumulados sobre a UniverCidade. Mas não só aos jornais do Rio, também aos de São Paulo, até porque os papéis da UniverCidade Trust são negociados na Bovespa.

    ResponderExcluir
  57. Postador 8:15
    As aulas começam dia 25/02. Não podem ser adiadas por muito tempo por causa das horas-aulas mínimas determinadas pelo MEC. Isso significa que falata muito pouco para o poder voltar as nossas mãos (na verdade, o poder sempre esteve nas nossas mãos). A plítica adotada pela IES de nos intimidar só alimenta o movimento.
    Certamente a assembléia de 06/03 contará com a presença de muito mais professores. Isso assusta, né?
    Quanto a nos qualificar de "meros terroristas urbanos" nada significa. Que quis dizer com isso? NADA! Nossa vida não mudou por conta de sua opinião. Agora, verdade seja dita: vocês não contavam com "terrorismo de inteligência". Nós usamos a inteligência. Isso vocês não possuem. É a inteligência contra a truculência.
    Vamos ver quanto tempo vocês ficaram impunes, quanto tempo vão onseguir se manter nos cargos que ocupam.
    Nossa, quanto poder tem o postador 8:15. É tão poderoso que vem postar no blog.

    ResponderExcluir
  58. (http://www.terra.com.br/istoedinheiro/180/negocios/180_levinson.htm)

    MIL FACES DE LEVINSOHN

    O homem que quebrou a Delfin nos anos 80 hoje comanda escolas, fazendas e atua na construção civil

    Por Darcio Oliveira
    (Sexta-feira, 2 de Fevereiro de 2001)
    Ele viveu à sombra os últimos 20 anos. Evitou qualquer tipo de exposição. Nada das festas de antigamente, regadas a champanhe Cristal em sua mansão na Gávea. Nada de encontros decisivos em Brasília. Eventos sociais nem pensar. A reclusão voluntária poderia parecer natural para o homem que carregou (e sempre carregará) o estigma de ter quebrado na década de 80 a caderneta de poupança Delfin, então a maior do País, afogada em dívidas de US$ 250 milhões com o extinto Banco Nacional de Habitação. Mas o isolamento não é tão ao acaso assim. Ao afastar-se, Levinsohn tenta livrar-se dos fantasmas do passado ao mesmo tempo em que abre espaço para novas frentes empresariais. Hoje, este gaúcho de 63 anos, tem negócios de mil faces: atua na área de educação e construção civil, controla um escritório de advocacia, tem fazendas na Bahia e vários imóveis. É dele, por exemplo, a segunda universidade privada do Rio de Janeiro, a UniverCidade. O complexo educacional, que ainda reúne colégios de ensino médio, abriga 25 mil alunos. “Isto não é um negócio. É uma obra social que se dedica a levar ensino a uma faixa de alunos excluídos, que podem pagar mensalidade entre R$ 200 e R$ 270”, diz Levinsohn em uma de suas raras entrevistas depois da derrocada da Delfin. Os alunos excluídos que estudam na obra social do empresário rendem anualmente cerca de R$ 40 milhões.

    No momento, Levinsohn está investindo R$ 20 milhões em um projeto para interligar via rede as universidades, uma espécie de intranet. “Conseguimos um financiamento e vamos pagar em 10 anos”, avisa. O empresário estuda ainda a possibilidade de levar universidades a São Gonçalo e à Baixada Fluminense. Petrópolis também está no roteiro. Não há planos de expansão nacional. Levinsohn diz que seu compromisso é com o Rio de Janeiro. De qualquer maneira, impressiona a velocidade de crescimento de suas atividades. Há dez anos, ele contava apenas com 1,8 mil estudantes. Hoje, circulam pelos pátios de suas escolas quinze vezes mais alunos.

    A rapidez de seus passos na área de educação já provocou no mercado comparações exageradas, como “ele é o Di Gênio do Rio” – referência ao empresário João Carlos Di Gênio, dono do Objetivo. Levinsohn não concorda: “Di Gênio é um desbravador. Eu sou um curioso que procura inovar”. Um curioso que, diga-se, vem recuperando espaço. Em 1983, quando o Banco Central decretou a liquidação extrajudicial da Delfin e assumiu o compromisso com os poupadores, comenta-se que o empresário teve de recorrer aos talões de cheque da filha a até a ajuda de amigos para recomeçar a vida. Pouco depois, Levinsohn fez um acordo com o BC, pelo qual ficou estabelecido que ele poderia ficar com o que sobrou de ativos da Delfin – imóveis que se valorizaram com a inflação e renderam algo como US$ 300 milhões – e saldaria o restante das dívidas em treze anos. Foi um grande negócio. Para Levinsohn. Até o hoje o governo espera o dinheiro. A assessoria do BC informou que o passivo é de R$ 1,2 bilhão. “É um assunto sub júdice. Não posso falar”, diz o empresário.

    Ele também não gosta de falar das fazendas na Bahia, tampouco de uma suposta participação na empresa Colina Paulista, que colhe anualmente 25 mil toneladas de soja, milho e arroz. Quando perguntado sobre as atividades desta empresa, Levinsohn é direto: “Ignoro, dela não participo”. A Colina, cujo patrimônio é avaliado em US$ 700 milhões, está registrada em nome de Paulo Carneiro Ribeiro, ex-diretor jurídico da Delfin, e de Adilson Santana Borges, contador do empresário há mais de 20 anos. No mais, Levinsohn passa a maior parte do tempo em sua mansão na Gávea. E tenta exorcizar os fantasmas da Delfin.

    ResponderExcluir
  59. errata: não falta muito tempo para o poder estar nas nossas mãos.

    ResponderExcluir
  60. A FRASE DO MÊS DE FEVEREIRO:

    "Nossa, quanto poder tem o postador 8:15. É tão poderoso que vem postar no blog."

    Parabéns ao Autor.

    ResponderExcluir
  61. Senhores,

    É importantíssimo que rapidamente tenhamos resposta sobre a CPI a ser realizada na ALERJ por que ela tem o poder de interrogar e compelir aos gestores de comparecer.

    O SINPRO já providenciou o contato para a sua agilização, mas eu enviei a mensagem abaixo , que foi respondida devidamente pelos assessores:

    Professor Brasileiro para pauloramos@alerj.rj.gov.br,
    adriana.alerj@hotmail.com
    data 8 de fevereiro de 2010 00:30assunto URGENTE!!!enviado por gmail.com
    Prezado Deputado Paulo Ramos,

    Sabemos da sua luta em prol da legalidade dos IES e por isso clamo a V.Exa. pela máxima urgência de providenciar uma CPI para que os gestores do Centro Universitário da Cidade - UniverCidade sejam interrogados e haja a investigação imediata das operações em mercados de capitais da ASESPA - ASSOCIAÇÃO EDUCACIONAL SÃO PAULO APÓSTOLO com a UniverCidade Trust Recebíveis S/A, inclusive com relação a todas as operações financeiras, pois sabemos que a Instituição não está em má situação financeira e os alunos na sua maioria estão adimplentes. Os gestores acostumaram a usar do seu poder para ludibriar aos funcionários aplicando todas as mensalidades dos alunos para usufruir de lucros e deixando-os sem pagamento.

    V. Exa. tomou conhecimento na AUDIÊNCIA PÚBLICA do dia 10 de dezembro, de que desde 2003 não depositam o FGTS, não recolhem o INSS desde 2006 e os salários há seis anos são pagos parceladamente.

    O salário de dezembro foi pago em três parcelas desde o dia 20 de janeiro e ainda faltam 20%.

    Outro fato arbitrário foi ao constituir uma ASSOCIAÇÃO DE DOCENTES para que houvesse uma intermediação mais equilibrada entre todas as partes, os gestores demitiram TODOS os membros agora entre 23 e 31 de dezembro, e até hoje não pagou as verbas rescisórias, não tem FGTS e nem guia do seguro desemprego.Veja V.Exa. que as demissões foram por retaliação. Todos terão que ajuizar Ação judicial para receber suas indenizações.

    Sei que existem dossiês que deverão ser entregues aos membros do Ministério Público, mas não sabemos como está o andamento. Todos os professores estão desesperados e não sabem o que fazer.

    O SINPRO fará uma Reunião com os demitidos no dia 10 de fevereiro as 16 horas e uma ASSEMBLÉIA com todos os professores no dia 6 de março as 10 horas para deliberar sobre os rumos a serem traçados.

    Em outubro de 2009 criei um BLOG que está facilitando aos professores e até mesmo aos funcionários administrativos para melhor comunicação e temos hoje 32.000 acessos e seguidores de vários Estados do Brasil.Por aí verifica-se a insatisfação dos professores e demais funcionários e pessoas que nos apóiam.

    Visite o BLOG e veja principalmente os FATOS MARCANTES no lado direito do BLOG:www.professorbrasileiro.blogspot.com

    Estamos tentando divulgar e fazendo o possível para que o público saiba:

    1. Vejam a reportagem realizada pela CBN.
    TÍTULO: "Universidades particulares do Rio de Janeiro enfrentam crise financeira". Cliquem, no LINK abaixo e depois, no setor iniciar para "ouvir" a REPORTAGEM. Liguem o SOM!
    REPORTAGEM-CBN

    2. PUBLICAÇÃO - Jornal O GLOBO - 03/01/2010:
    PUBLICAÇÃO - O GLOBO - 03.01.2010

    3. PUBLICAÇÃO NO BLOG :BLOG OBSERVATÓRIO DA UNIVERSIDADE

    4. PUBLICAÇÃO NO BLOG LEX BRASIL: http://lexbrasil.blogspot.com/

    Exa. Clamamos por sua ajuda, pois realmente a situação está calamitosa.

    ABAIXO ESTÁ O COMENTÁRIO DE UM ANÔNIMO QUE DENUNCIA MAIS CLARAMENTE A SITUAÇÃO:
    DIRETO DA ADMINISTRAÇÃO


    CONTINUA ABAIXO:

    ResponderExcluir
  62. continuação - mostrei a eles o depoimento do funcionário:

    DIRETO DA ADMINISTRAÇÃO

    Prezados professores,

    Não posso me identificar, por razões óbvias, mas trabalho no núcleo financeiro da UniverCidade e assim como todos vocês sofro atrasos salariais e, sofrendo calado desde 2003, resolvi soltar o meu brado de dor! Vamos a ele:

    1) A instituição nunca teve problemas financeiros, ocorre que como se tornou uma prática em todas as universidades privadas o não pagamento de salários, verbas indenizatórias, recolhimento do INSS, esta instituição resolveu aderir a esta "moda";

    2) A UniverCidade trust e recebíveis serve como um meio para entrada e saída de dinheiro, algo parecido como a Igreja Universal e a Rede Record de televisão, ou seja, uma verdadeira máquina;

    3) Nosso rendimento mensal, gira em torno de R$ 15,9 milhões de reais (mensalidades, ajudas do governo - PROUNI - etc), mas todo esse dinheiro é jogado na UniverCidade trust e recebíveis;

    4) Existe uma prática constante de desvio de recurso para paraísos fiscais. Ainda não consegui descobrir mais detalhes, mas continuo tentando saber;

    5) Culpar a inadimplência é como enxugar gelo. Isso existiu e sempre vai existir, o que eles estão fazendo é transferindo o risco do negócio para o trabalhador;

    6) Já vi algumas homologações feitas em juízo e a estratégia da UniverCidade é fazer acordo, alegando que está à beira da falência para que os trabalhadores façam os acordos e não venham a receber aquilo que tem direito. A UNIVERCIDADE NÃO VAI FALIR;

    7) A Price (empresa de auditoria) estava fazendo os cálculos para que a Estácio comprasse toda a UniverCidade, porém o Dr.Ronald desistiu, por não ser uma operação de lucros altos, como ele está acostumado.

    Volto em breve, caso consiga!

    FUNCIONÁRIO(A) DO FINANCEIRO COMPLETAMENTE DESESPERADO(A)

    Saudações,

    Professor Brasileiro

    ResponderExcluir
  63. Resposta da assessoria do deputado:


    PauloRamos@alerj.rj.gov.br
    para Professor Brasileiro
    data 8 de fevereiro de 2010 10:18

    assunto Re: URGENTE!!!

    enviado por alerj.rj.gov.br


    ocultar detalhes 10:18 (5 horas atrás)

    RECEBEMOS O SEU E-MAIL E SERÁ ECAMINHADO AO DEPUTADO

    GRATO

    ResponderExcluir
  64. (http://veja.abril.com.br/010300/p_100.html)

    LONGE DOS HOLOFOTES

    Ronald Levinsohn manteve sua fortuna e ergueu um novo império, mas o fantasma da Delfin o persegue

    Por Marcelo Carneiro

    Nos anos 70, ele tinha o mundo a seus pés. Jovem, bem relacionado e cheio de idéias na cabeça, o empresário Ronald Levinsohn subiu aos píncaros dos meios financeiros. E, de lá, tombou de modo espetacular. Para quem não se lembra, Levinsohn era o dono da caderneta de poupança Delfin, na época a maior do país, que foi para o buraco em 1983. O estouro foi um dos maiores escândalos financeiros do regime militar. Com quase 4 milhões de correntistas, a Delfin era uma potência, mas dívidas de 250 milhões de dólares com o extinto Banco Nacional de Habitação, BNH, levaram a empresa a pique. A Delfin foi liquidada e o governo bancou o rombo dos poupadores. Levinsohn mergulhou em um ostracismo voluntário que já dura quase duas décadas. Mas engana-se quem pensa que ele foi aniquilado empresarialmente. Longe dos holofotes, construiu outro império. Aos 62 anos, varreu para debaixo do tapete a marca Delfin e virou dono da terceira maior universidade privada do Rio de Janeiro — o Centro Universitário da Cidade, UniverCidade. Levinsohn é mais do que somente um bem-sucedido empresário da educação: também manobra, sem alarde, uma holding que tem negócios nas áreas de construção civil e agricultura. É proprietário ainda de várias fazendas na Bahia cuja área equivale a catorze vezes a cidade de Salvador.

    E ele quer mais. Duas obsessões ocupam sua cabeça nos últimos anos. Uma é transformar a UniverCidade na maior instituição privada de ensino do Rio. Nesse ponto ele já caminhou um bocado. A partir de um acanhado prédio na Zona Oeste do Rio, em 1980, Levinsohn ergueu uma potência com 12.000 alunos, nove campi e faturamento anual estimado em 40 milhões de reais. Como nem tudo é perfeito, a UniverCidade tem um desempenho sofrível. Não conseguiu nenhuma avaliação acima do razoável nos testes do Ministério da Educação. O curso de engenharia elétrica, que já havia tirado a pior nota nos dois últimos anos do Provão, acaba de levar mais uma bomba e pode ser fechado. A segunda idéia fixa do ex-barão da poupança é continuar movimentando as peças de uma intrincada pendenga jurídica com diversas instituições federais, cujo centro é ainda a Delfin. Também nessa parte coleciona vitórias impressionantes.

    O obsessivo Levinsohn vive enclausurado em sua mansão no bairro da Gávea, Zona Sul carioca. É capaz de passar dias sem sair de casa, um caixote de vidro e concreto erguido em 1972, em meio a 8.000 metros quadrados de Mata Atlântica. As paredes são forradas de quadros de artistas do calibre de Pablo Picasso e Marc Chagall. Mas dividem espaço com uma estante abarrotada de documentos sobre o escândalo financeiro do qual foi o personagem principal. A maior relíquia, segundo seus amigos, são 400 fitas de gravações com supostos esquemas de corrupção comandados pelos interventores da Delfin. Na garagem, o Mercedes dos tempos de glória agora divide espaço com um Audi A6 estalando de novo. Na maior parte do tempo o empresário usufrui apenas com a mulher, Maria Henriqueta, todo esse luxo — suas duas filhas já não moram mais com o casal, embora participem dos negócios do pai.

    CONTINUA

    ResponderExcluir
  65. CONTINUANDO

    Ronald, como é chamado pelos amigos, acorda por volta das 5 da manhã. Devora os jornais de cabo a rabo e costuma emendar a sessão matinal de leitura com um livro. Às 7 horas, já está despachando, para desespero dos funcionários da UniverCidade. A mansão virou escritório. Duas secretárias e um arsenal de fax e computadores de última geração garantem o máximo de eficiência e reclusão. A parafernália o segue até nas viagens de lazer. Das suítes dos hotéis onde se hospeda, o empresário acompanha o dia-a-dia da universidade. Nas raras vezes que foge da rotina, pode ser visto almoçando no restaurante Mosteiro, no centro do Rio. Entrevistas e fotos, nem pensar — as que VEJA publica acima (VIDE http://veja.abril.com.br/010300/p_100.html) foram batidas quando o empresário saía de um restaurante.

    A quebra da Delfin não abalou a fortuna de Levinsohn, mas fez dele um homem ressentido. "É uma pessoa difícil, temperamental", afirma um ex-colaborador. Antes do escândalo, o empresário era recebido a qualquer hora por gente do primeiro e segundo escalão do governo, entre os anos 70 e o início da década de 80. Ministros, como Mario Henrique Simonsen e o general Golbery do Couto e Silva, chefe do Gabinete Civil dos governos Geisel e Figueiredo, ambos mortos, viraram seus amigos. Simonsen, por exemplo, freqüentava sua casa e o acompanhava em viagens à Áustria, para a temporada de ópera — paixão de ambos. Entre os que se dão com ele hoje, há amigos fiéis de muitos anos, como o ex-comandante da Globo José Bonifácio de Oliveira Sobrinho, o Boni, mas o séquito de bajuladores que o rodeava sumiu quando a Delfin teve de fechar as portas.

    À primeira vista, o isolamento de Levinsohn parece apenas amargura. É uma característica comum a protagonistas de quebras explosivas, como os ex-banqueiros Ângelo Calmon de Sá, do Econômico, e Marcos Magalhães Pinto, do Nacional, que mantiveram suas fortunas mas caíram em desgraça pública. Como a mancha do escândalo financeiro não se apaga, passam a viver como uma espécie de párias. Levinsohn sofre do mesmo mal, mas utiliza-o como arma. Usa a reclusão como parte de uma cuidadosa estratégia para dissociar seu nome da Delfin. De fato, ele se afastou de boa parte do círculo de poder do período militar, mas recompôs um arco de alianças surpreendente, aproximando-se de personagens de matizes ideológicos bem distintos. Entre eles, o ex-vice-governador do Rio Darcy Ribeiro, morto há três anos, o antropólogo Roberto da Matta, o historiador Evaldo Cabral de Mello e o cientista político Mangabeira Unger, guru do presidenciável Ciro Gomes. Todos esses já foram levados à sua casa para bate-papos.

    Péssimo pagador — Levinsohn é brigão e se orgulha disso. "O Ronald é um guerrilheiro", define o advogado e amigo Paulo Eduardo Carneiro Ribeiro, ex-diretor jurídico da Delfin e até hoje seu braço direito. Juntos, os dois foram responsáveis por mais de 120 ações na Justiça contestando a liquidação da Delfin. A empresa começou a ir à lona em dezembro de 1982, quando veio a público uma negociação com o BNH. Em troca do perdão das dívidas com o banco, Levinsohn oferecia dois terrenos que, pela avaliação de técnicos do próprio banco, não valiam nem a sexta parte do total do débito. O empresário encarregou-se da própria defesa. Argumentou que o BNH estava aceitando as áreas pelo "valor potencial", ou seja, pelo que poderiam valer em um futuro distante. Em 1996, a Justiça federal aceitou o raciocínio e considerou a operação legal — embora ainda existam ações no Supremo Tribunal Federal contestando a decisão. Mas na época espalhou-se um cheiro de forte problema no ar: os poupadores correram para sacar seu dinheiro e em menos de vinte dias foi decretada a liquidação extrajudicial da Delfin.

    ResponderExcluir
  66. Outra face de Levinsohn, essa menos visível, é a de péssimo pagador. Boa parte das ações que ele enfrenta na Justiça refere-se a dívidas contraídas na época da intervenção da Delfin. Em 1991, Levinsohn e o Banco Central fecharam um acordo. O empresário levou para casa o que restou da caderneta — um patrimônio estimado, na época, em 300 milhões de dólares — e ganhou uma segunda chance: saldar o restante das dívidas ao longo de treze anos, com vencimento semestral e dois anos de carência. Desse novo acordo, não foi honrada sequer a primeira prestação. Hoje, a dívida do empresário com o BC ultrapassa 1 bilhão de reais, dos quais seu advogado só reconhece 180 milhões. Levinsohn nem se abala. "É briga para mais de dez anos", afirma o próprio Levinsohn a VEJA, por fax.

    HÁ PELO MENOS MAIS UMA ENCRENCA DE GROSSO CALIBRE ENVOLVENDO-O. NO INÍCIO DESTE ANO, O INSTITUTO NACIONAL DE COLONIZAÇÃO E REFORMA AGRÁRIA, INCRA, CANCELOU TEMPORARIAMENTE O REGISTRO DE UMA ÁREA DE 444.000 HECTARES QUE LEVINSOHN POSSUI, EM NOME DA DELFIN, NA REGIÃO DE BARREIRAS, NO OESTE DA BAHIA. POR DUAS VEZES O INCRA COBROU, SEM SUCESSO, A COMPROVAÇÃO DA POSSE DO TERRENO. SE OS DOCUMENTOS NÃO FOREM APRESENTADOS ATÉ ABRIL, O CANCELAMENTO SERÁ DEFINITIVO. BARREIRAS É UMA REGIÃO ESTRATÉGICA. SUAS TERRAS ESTÃO ENTRE AS MELHORES DO PAÍS PARA O CULTIVO DE SOJA E SÃO A BASE DE ATUAÇÃO DA COLINA PAULISTA, EMPRESA COM PATRIMÔNIO DE 700 MILHÕES DE REAIS. A COLINA ESTÁ REGISTRADA EM NOME DO FIEL ESCUDEIRO CARNEIRO RIBEIRO E DE ADILSON SANTANA BORGES, CONTADOR E HOMEM DE CONFIANÇA DO EMPRESÁRIO HÁ MAIS DE VINTE ANOS. LEVINSOHN SE DIZ "PARCEIRO" DA EMPRESA, MAS TODOS OS GRANDES PROJETOS DA COLINA PAULISTA TÊM COMO BASE OS TERRENOS DA DELFIN. SÓ EM 8.000 HECTARES PLANTADOS NAS TERRAS DE BARREIRAS A COLINA COLHE ANUALMENTE CERCA DE 25.000 TONELADAS DE SOJA, MILHO E ARROZ.

    Tudo o que envolve os negócios de Ronald Levinsohn aparece com algum tipo de pendência judicial. A exceção, talvez, sejam seus negócios na área da educação. Até suas casas entram na roda-viva da Justiça. A mansão carioca sofre um processo da prefeitura por uso irregular do terreno. Na casa de praia, em Angra dos Reis, Levinsohn e sua filha mais velha, Claudia, sustentam um briga judicial com um vizinho pela posse de um terreno de 12.000 metros quadrados. Estar guerreando na Justiça parece algo compulsivo para esse gaúcho, filho de pai inglês e mãe argentina. "Seu ambiente é o stress", resume o amigo Carneiro Ribeiro. Fiel ao figurino adotado após a quebra nos anos 80, o ex-senhor poupança inaugura o ano 2000 no melhor estilo Levinsohn: cada vez mais rico, sempre à sombra e eternamente às voltas com a Justiça.

    ResponderExcluir
  67. OUTRA FACE DE LEVINSOHN, ESSA MENOS VISÍVEL, É A DE PÉSSIMO PAGADOR. BOA PARTE DAS AÇÕES QUE ELE ENFRENTA NA JUSTIÇA REFERE-SE A DÍVIDAS CONTRAÍDAS NA ÉPOCA DA INTERVENÇÃO DA DELFIN. EM 1991, LEVINSOHN E O BANCO CENTRAL FECHARAM UM ACORDO. O EMPRESÁRIO LEVOU PARA CASA O QUE RESTOU DA CADERNETA — UM PATRIMÔNIO ESTIMADO, NA ÉPOCA, EM 300 MILHÕES DE DÓLARES — E GANHOU UMA SEGUNDA CHANCE: SALDAR O RESTANTE DAS DÍVIDAS AO LONGO DE TREZE ANOS, COM VENCIMENTO SEMESTRAL E DOIS ANOS DE CARÊNCIA. DESSE NOVO ACORDO, NÃO FOI HONRADA SEQUER A PRIMEIRA PRESTAÇÃO. HOJE, A DÍVIDA DO EMPRESÁRIO COM O BC ULTRAPASSA 1 BILHÃO DE REAIS, DOS QUAIS SEU ADVOGADO SÓ RECONHECE 180 MILHÕES. LEVINSOHN NEM SE ABALA. "É BRIGA PARA MAIS DE DEZ ANOS", AFIRMA O PRÓPRIO LEVINSOHN A VEJA, POR FAX.

    ResponderExcluir
  68. Esse camarada das 8:52 é um bobão mesmo e não perde por esperar. Aguarde e confira mané.

    ResponderExcluir
  69. Visitem

    http://www.scribd.com/doc/24102876/O-Caso-Delfin-Digitalizado

    e leiam O CASO DELFIN DIGITALIZADO. Muito instrutivo.

    ResponderExcluir
  70. Publicado em Observatório da Imprensa (http://www.observatoriodaimprensa.com.br/artigos/mt201299.htm) um texto intrigante, que estabelece supostas relações entre o Caso Delfin e o Caso Baumgarten:

    "A novidade que Veja ou qualquer outro órgão da grande imprensa não reconheceu no livro foi o relato do seu próprio papel na cobertura dos escândalos financeiros mais escabrosos que haviam ocorrido no Brasil, até então, e que eu havia levantado na Folha de S.Paulo. Pois, no posfácio intitulado "O valor potencial da imprensa", fica sugerido, em cima de evidências inescapáveis, que o próprio caso Baumgarten, de grande repercussão na época, surgiu em Veja com suspeita coincidência para abafar o caso Delfin, igualmente escabroso. O dono da Delfin era também dono do apartamento onde morava Alexandre von Baumgarten. O caso Baumgarten foi produto de um dossiê entregue a Veja. Elementar, meu caro Watson!"

    LEIA TUDO EM

    http://www.observatoriodaimprensa.com.br/artigos/mt201299.htm

    ResponderExcluir
  71. Professor, retificando, sugiro registra o log das 08:52.

    ResponderExcluir
  72. é incrivel anonimo das 10:33
    Ao invés de ir atras do que lhe é devido, está interessado em dizer oque o Sr Levinsohn tem ou deixa de ter. Isso não nos interessa. Trabalhamos para a Univercidade e ela que tem de nos pagar. Voces escrevem muitas coisas que não interessa1 Se ele quebrou a Delfin problema dele, era dele se ele quisesse até poderima mesmo. Pagou todos os depositantes...Não entendo porque se fala tanto. Se existe algum credor, este sim deve reclamar.
    Por favor vamos focar na Univercidade!!!!

    ResponderExcluir
  73. Pagou todos os depositantes? Mas não pagou a todos os ex-funcionários. Minha tia espera até hj...

    ResponderExcluir
  74. E por falar em pagar, e meus 120%???????????
    Meu 13o de 2007 e FGTS???????
    INSS??????????

    ResponderExcluir
  75. Ao contrário do Sr. 11:27, não sou lacaio do Sr. Levinsohn, sou empregado. E como tal, na dupla condição de mantenedor e reitor da UniverCidade ele me deve dinheiro. Para ser preciso, 120% do meu salário.

    Os textos provam três coisas que até o Sr. pode entender:

    a. O Sr. Levinsohn goza de ilimitados recursos materiais.
    b. O Sr. Levinsohn não paga suas dívidas.
    c. O Sr. Levinsohn não deseja ser associado ao seu próprio passado.

    Quando ele pagar o que me deve, terei prazer em esquecê-lo. Até lá, terei igual prazer em avivar-lhe as memórias.

    ResponderExcluir
  76. 11:39 Sua tia não sei o que fez, mas todos meus colegas receberam e quem não recebeu, foi admitido na Caixa Economica Federal.
    Sinto pela sua Tia

    ResponderExcluir
  77. Nenhuma ofensa foi proferida contra o Sr. Levinsohn. O Anônimo apenas elencou uma mínima parcela de artigos publicados na imprensa por autores conhecidos e não-refutados que trataram da biografia do Sr. Ronald Guimarães Levinsohn.

    As alegações contidas nos artigos – de responsabilidade dos seus autores e veículos – podem ser verificadas e devem ser divulgadas.

    Cada um briga com o que tem.

    O Anônimo está brigando com a Verdade.

    ResponderExcluir
  78. Rapaz, mas a gente tá fazendo um estrago, hein? Já tem Diretor se preocupando com a tia dos outros!

    ResponderExcluir
  79. Cuidado, gente, essa provocação é pra fazer surgir uma ofensa pessoal e causar estrago. Não caiam na armadilha. Não é preciso ofender ninguém. Basta digitar "Levinsohn" entre aspas no Google que os escândalos aparecem sozinhos.

    ResponderExcluir
  80. O que queremos aqui são nossos direitos e não bisbilhotar a vida pregressa dele.
    O que é dele´é dele.
    Quero somente o que a Univercidade me deve, o que o Sr Levinsohn tem pessoalmente não me pertence e nem quero saber do que fez no passado.

    ResponderExcluir
  81. Cara, fui demitida da instituição e não recebi um centavo. Daí que a grana que ele me deve passa pelo pasado, pelo presente e pelo futuro dele. Tudo é imporatnte para os meus advogados. Não vem com esse papo Politicamente Correto que a personagem em discussão não é e nunca foi Politicamente Correta. Você deve ser mesmo o que o outro disse, um lacaio.

    ResponderExcluir
  82. Esse cara é o mesmo das 08:52, que ainda entra aqui chamando a gente de amigo!

    ResponderExcluir
  83. Quem não tem dignidade é o Sr que fica de olho no dinheiro dos outros, deve ser um intelectual de esquerda...assim se sofre...

    ResponderExcluir
  84. Engraçado alguém se preocupar tanto com o dinheiro dos outros. Como um dos artigos anteriores fala em conexão permanente com a Internet, talvez estejamos recebendo visitas quase ilustres...

    ResponderExcluir
  85. Esse blog está cada vez melhor. Estamos sendo cada vez mais prestigiados.

    ResponderExcluir
  86. hahahaha bota ilustre nisso, voce nem imagina!

    ResponderExcluir
  87. Não é a toa que já são 32 mil acessos. A oposição está nos frequentando.

    ResponderExcluir
  88. Claro !voces nao queriam ser notórios? Já o são!

    ResponderExcluir
  89. aros amigos,

    TODOS SOMOS HUMANOS, E ENQUANTO ESTIVERMOS AQUI NA TERRA TEREMOS ESSAS DIVERGÊNCIAS E ACHO EXCELENTE! É UMA LUTA COMO DAVID E GOLIAS. GANHARÁ QUEM FOR MAIS ASTUTO E NÃO O MAIS "FORTE". CONTUDO NÃO É O SENTIDO GANHAR E SIM DE JUSTIÇA!!!

    PORÉM, NÃO NOS DEIXEMOS INTIMIDAR. PROVOCAÇÕES? ESSAS EXISTEM PARA DESESTABILIZAR O MOVIMENTO.

    CARÍSSIMOS COLEGAS, ANIMEM-SE, POIS ESTAREMOS TODOS NA ASSEMBLÉIA E ALÉM DO MAIS ESTAMOS FORTES!

    PROCUREM NÃO SE IRRITAR, E SIM SORRIR OU GARGALHAR DIANTE DE TANTO DESCONHECIMENTO DOS GESTORES DO QUE É HUMANIDADE E RESPONSABILIDADE.

    NÃO SEI COMO ELES PODEM OLHAR PARA SEUS FILHOS, DORMIR OU VIVER COM SUAS FAMÍLIAS E CONTINUAR A DIZER-NOS QUE NÃO VAMOS CONSEGUIR NADA!!!

    ALIÁS ESTAMOS SÓ COMEÇANDO E JÁ CONSEGUIMOS MAIS DE 32.000 ACESSOS E SEGUIDORES DE TODO O BRASIL , INCLUSIVE ÓRGÃOS QUE ELES NEM IMAGINAM QUE ESTEJAM CONOSCO.

    ESSE É O LEMA DELES: "PARA NÓS TUDO, PARA OS OUTROS NADA!"

    NÃO ESQUEÇAM DE AVISAR AOS COLEGAS SOBRE A REUNIÃO DOS DEMITIDOS E DA ASSEMBLÉIA, OK?

    SAUDAÇÕES,

    Professor Brasileiro

    ResponderExcluir
  90. PROFESSOR BRASILEIRO O SR É O MÁXIMO!!!!

    ResponderExcluir
  91. Professor Brasileiro, de fato o senhor é 10!

    Vamos em frente. Ninguém pode incomodar tanto se não está ganhando!

    Valeu!

    ResponderExcluir
  92. Gente! Eu não sabia desse blog até hoje! Me demitiram e sabe o que eu tive que ouvir de um funcionário do Departamento Pessoal:

    "Professora, pra receber alguma coisa a senhora vai ter q entrar na justiça. Não vamos lhe pagar" Eu não assinei nada, mas não adiantou, estou desligada da "empresa".

    O q eu faço agora? Espero uma ação coletiva ou entro na justiça individualmente?

    Professora Glaucia Dutra

    ResponderExcluir
  93. Professora,

    É realmente incrível! Por gentileza vá na reunião do dia 10 as 15:30 h. O SINPRO lhe orientará.

    A senhora terá que ajuizar ação judicial.

    Saudações,

    Professor Brasileiro

    ResponderExcluir
  94. A senhora nunca recebeu um email do Professor Brasileiro?

    Esse é o problema, eu tenho uns 600 emails e muitos professores não enviam para os outros.

    É necessário colaboração.

    Saudações,

    ResponderExcluir
  95. Você achou justo o que a aluna(??) Anna Paula Barreto da Costa e Silva fez na noite de colação da UGF???? foi ridículo da parte dela. Estragar a noite de todos para APARECER.Ela teve 4 anos para reclamar ou sair da faculdade e justamente no único dia que ela não tem esse direio ela quer comentar??? RIDICULO E EGOÍSTA da parte dela. Falo isso porque sou um dos formandos e estava lá. MARCOS REIS

    ResponderExcluir
  96. A culpa é de nós, professores, quase todos mestres em ensinar a cômoda e covarde arte da "omissão". Quando os alunos percebem isso, em geral é tarde demais.

    ResponderExcluir
  97. Aluna do 6º período9 de fevereiro de 2010 19:46

    Ao amigo anonimo que postou mensagem às 17:11 do dia 05/02/2010.

    Não perdi a bolsa, mas do jeito que as coisas estão fico até com medo.

    ResponderExcluir
  98. Prezdos, não fiquem espantados. Os professores da UNIG estão passando por problemas sérios. Ficaram sem salário esse tempo todo quando não recebendo atrazado.em Agosto de 2009 foi feito um acordo o qual o sindicato esteve presente em que os professores não poderiam ter carga reduzida ou demissão enquanto não fosse pago os salários devidos que seriam parcelados e que o salário do mês estria em dia. Moral da história nada aconteceu nem o acordo e muito menos os salários em dia. Agora entre Janeiro e Fevereiro se concretiza a venda da UNIG para Aluízio e Sheila Gama (atual vice-prefeita de Nova Iguaçu). Onde no acordo ficou certo do pagamento de 50% à vista da dívida os professores e o restante parcelado. E a partir de Fevereiro o salário em dia. As aulas foram até o dia 15/01/2010 para cumprimento do calendário de 2009. Recesso de 18/01 a 01/02/2010 com ínicio das aulas no dia 08/02 que foi adiado para 22/02 sem necessidade do professor comparaecer. Como sempre fomos surpreendidos por demissões em massa onde ninguém sabia de onde veio a ordem nem as coordenações e muito menos as direções sabiam do ocorrido. Quando surge a notícia que foi decisão dos novos donos junto com a atual pró-reitora Prof Simara. Essa que está na instituição desde o final de 2009 e que não se deu o trabalhoa té hoje de conhecer seu corpo docente e muito menos de cobrar os direitos apenas exigir os deveres do professor. Agora estamos aí com novos donos, com propostas de pagamentos e demitidos. Sem data de recebimento ou se vamos receber. Parece que segundo comentários os professores não servem para a nova gestão ficaram trabalhando sem salários defendendo a cada avaliação do MEC negativa a instiuição e seus cursos e como pagamento DEMISSÃO sem dó nem piedade. E o sindicato que ficamos ligando para eles e ninguém aparecendo. O PRof Floriano nosso representante (prof também da UNIG) não se dignu a atender o telefone. Nem se pronunciou. QUEREMOS JUSTIÇA!!!! FORA DA UNIG E DE NOVA IGUAÇU SHEILA, ALUÍZIO GAMA E SIMARA. QUEREMOS POSÇÃO DO SINDICATO!!!! RETRATAÇÃO E CUMPRIMENTO DOS ACORDOS!!! RETORNO DOS DEMITIDOS!!!!
    Estou anônimo devido a preseguição que pode acontecer.

    ResponderExcluir
  99. Sou professor da UNIG e o colega anônimo está com a razão na 4ªfeira todos com seus horários confirmados e na espectativa dos novos donos pagar e cumprir os acordos. 4ª, 5ª e 6ª emitidos os telegramas. Quem demitiu ninguém sabia até que se soube de onde veio tal atrocidade. E te pergundo o sindicato atendeu???? A Pró-reitora estava na UNIG para esclarecimentos???? Onde estava Sheila e Aluízio Gama educadores para fazer descumprir a ordem da pró-reitora que fez uso abusivo de sua autoridade e poder??? Todos já no carnaval.... Para que se preocupar com um mando de otários que ficou sem receber, defendeu a instituição. Quando vamos receber? Não se sabe!!! Mas, tem que asinar o aviso prévio. Será que essa Educadora, política não vai se pronunciar e vai continuar querendo ser a representante do povo Iguaçuano. Muito cara de pau!!!

    ResponderExcluir
  100. é verdade o mesmo aconteceu comigo!!!! Estamos desorientados sem nada e só com um telegrama de demissão. E o pior de tudo eu votei na Sheila Gama toda vez que ela se candidatou e agora sou surpreendida por essa situação. A pró-reitora é tão empregada quanto os outros se demitiu é porque os donos concordaram. Ou seja, educadora destruindo educador.

    ResponderExcluir
  101. Senhores,

    Se são professores vão logo ao SINPRO. Caso sejam funcionários administrativos deverão procurar urgentemente o seu Sindicato.

    Ou um Advogado , MAS TEM QUE SER LOGO. CUIDADO. VOCÊS TÊM 2 ANOS PARA AJUIZAR A AÇÃO TRABALHISTA APÓS A EXTINÇÃO DO CONTRATO DE TRABALHO. ASSIM NÃO PERCAM TEMPO.

    Saudações,

    ResponderExcluir

O BLOG É MODERADO.

TODOS SÃO BEM-VINDOS !

Professor Brasileiro